Alegrai-vos sempre no Senhor! Alegrai-vos!

15/12/2017 - 12:00

“Alegrai-vos sempre no Senhor! Repito, alegrai-vos! Que a vossa alegria seja conhecida de todos! O Senhor está próximo” (Fl 4,4).

Caros irmãos e irmãs, estamos entrando na segunda metade do tempo do Advento. Tempo de espera, tempo de preparação para o Natal. Tempo de alegria pelo nascimento do Salvador, o filho de Deus feito homem. Deus cumpre sua promessa enviando ao mundo o Salvador que devia redimir o seu povo dos pecados. Anunciado pelos profetas, nascido de Maria e de José, na pequenina cidade de Belém de Judá e mostrado ao mundo por João Batista, Jesus é para nós, cristãos, motivo de alegria, de esperança, a nossa salvação. O nascimento de Jesus entre nós gera um clima de entusiasmo, de alegria, de paz. Jesus mesmo é o iniciador dessa alegria que vem do alto, dom do amor de Deus por nós, como afirma São João: “Nisto consiste o amor: não fomos nós que amamos a Deus, mas foi Ele que nos amou primeiro e enviou o seu filho como expiação pelos nossos pecados” (1Jo 4,10). A Virgem Maria agraciada pela escolha de ser a Mãe do Salvador exclama no “Magnificat”: “A minha alma engrandece o Senhor, e meu espirito se alegra em Deus, meu Salvador, porque Ele olhou para a humildade de sua serva. Todas as gerações, de agora em diante, me chamarão feliz, porque o Senhor fez por mim grandes coisas. O seu nome é santo” (Lc 1, 47-49).

A santidade do nome de Deus consiste no seu amor ilimitado pelos seus filhos e filhas, chamados a serem santos como Ele é santo (Lv 11, 44). Somos convidados a viver no amor, amando-nos uns aos outros assim como Deus nos ama. Dessa maneira, a nossa alegria se torna perfeita, sem fingimento: “Se alguém disser: ‘Amo a Deus’, mas odeia seu irmão, é mentiroso; pois quem não ama seu irmão, a quem vê, não poderá amar a Deus, a quem não vê. Este é o mandamento que d`Ele recebemos: quem ama a Deus, ame também o seu irmão” (cf 1Jo 4,20).

Uma alegria sincera, perfeita e sem enganação nasce do amor a Deus e ao próximo. Alegrar-nos no Senhor é dispor nossos pensamentos, desejos e ações numa atitude cristã, fundamentada no amor. Amor que nos compromete com a edificação de um mundo novo. Amor que nos leva a querer e trabalhar na construção de uma nova sociedade, em que haja lugar para todos. Um mundo como “casa comum”, bem cuidada, sem exclusão nem excluídos, sem morte e sem violência, onde reina o amor, a justiça e a paz. A alegria cristã não é uma alegria passiva, carente de sentido. Ela é profunda, porque nasce da certeza da nossa vitória alcançada em Jesus Cristo. Nasce da salvação realizada na sua encarnação, morte e ressureição, segundo os desígnios de Deus Pai.

Este tempo litúrgico do Advento, em preparação para o Natal, nos convida a alegremente abrir as portas de nossas casas e de nossos corações para o Deus Menino que vem a nós presente na pessoa de cada irmão e de cada irmã, sobretudo dos que mais sofrem, em especial de nossa cidade de São Paulo. Partilhemos com estes tudo o que somos e o que temos, pois Deus Pai partilha conosco a sua maior riqueza, não reservando nada para Si, nos dando gratuitamente seu filho Jesus. Neste Natal, seja você também generoso de coração, alegre testemunha do amor, portador da presença de Jesus Cristo, feito homem na gruta de Belém. A todos, frutuoso tempo do Advento e feliz Natal.